O SOL DE QUARTA-FEIRA

Liquidação para passagem do ponto

Espalharam terror nas eleições de outubro

A fila do frio em São Paulo

Erica, a primeira deputada estadual paulista trans, na primeira página

Os clássicos do Jornalismo estão de volta

Cuidado! Eleições!

Doria, o cabeça dura

No final, a ideia é vender o Brasil

O último a sair, não vai precisar apagar a luz

Aqueles que não tem onde morar

É guerra!

Já vai tarde!

Elisabeth Borne, a nova primeira-ministra da França, na capa do Libération

É A Glória!

Um bom gráfico no Le Monde, explica como são feitos os transplantes humanos com órgãos de animais

O SOL DE SEXTA-FEIRA

A guerra das urnas eletrônicas

Eles nunca tinham visto um dragão

Na foto em destaque, a vida nos tempos de Bolsonaro como ela é

Essa guerra pode se alastrar

Sem uma ideia concreta para o problema, a prefeitura de São Paulo atira pra todo lado

Jaguar, na página A2

O dinheiro virtual sumiu

Destaque para a mulher negra na primeira página, neste 13 de Maio

Imagine uma guerra por aqui…

Já que é trocadilho, o TSE está com o Fachin e o queijo na mão…

Uma tragédia paulistana, sem solução

O editor-chefe da Veja contratado pelo Estadão entra em ação…

Enfim, juntos!

O buraco negro na capa do Wall Street Journal, o Pink Floyd na capa do Financial Times e a ainda a guerra, no La Repubblica

A hora da Índia, assunto de capa da Economist

Bowie revisitado na capa da Mojo

Boa capa da Carta Capital

PARA LER:

https://noticiasdatv.uol.com.br/noticia/televisao/michelle-barros-pede-demissao-da-globo-apos-12-anos-saiba-o-motivo-80929

Nota 0 para a colunista Ruth de Aquino, que detona Michelle e Janja para defender Dona Ruth Cardoso, fingindo não saber que o casamento era de fachada.

 

 

 

 

SEGUE O SECO

Quando a vida de uma pessoa é andar por esse país, e chega ao Nordeste, vem aquela imagem de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira na cabeça e não sai mais. Quando se pisa nessa terra alaranjada, bem poeira, quente de derreter Havaianas, não há como não lembrar da asa branca, da terra seca qual fogueira de São João, do Deus do céu, de tanta judiação. Se gritar o nome do velho Lua aqui no meio do Sertão, vai ecoar: presente! Gonzaga, aquele que chegou no forró moído, depois de andar dezessete léguas e meia só pra ver se Rosinha tava lá, o cabra da peste que convidou a comadre Sebastiana pra dançar um forró na Paraíba e ela veio com uma dança diferente, o mesmo que só deixaria o seu Cariri no último pau de arara. Entra em beco, sai em beco, e o sanfoneiro parece presente no ar, nas nuvens, em cada cena dessa vida seca. Gonzaga é uma simpatia que contaminou todos daqui, uma simpatia que se espalhou pela plantação. Já fazem três noites que pro Norte relampeia e a asa branca ouvindo o ronco do trovão, já bateu asas pro sertão, mas nem um pingo d’água pra salvar a plantação. Andando por aqui, lembrei-me da Sudene, criada por Celso Furtado quando eu tinha nove anos. Todo dia ouvíamos falar da Sudene na televisão. Surgia como a salvação da lavoura, colírio para os olhos rasos d’água. A Sudene saiu de moda, sei lá. Por aqui, a gente dá muito valor a uma garrafa d’água, como se fosse petróleo. Lembro-me de Gil e sua Onda Azul, também tão esquecida. Ai, de repente, vem Dominguinhos na cabeça: traga-me um copo d’água, eu tenho sede e essa sede pode me matar.

 

A MORTE DE CHARLIE WATTS

DA ROLLING STONE

O baterista Charlie Watts, da banda Rolling Stones, morreu aos 80 anos nesta terça, 24, no hospital de Londres ao lado de sua família. A informação foi confirmada pelo agente do músico, Bernard Doherty, em comunicado para a imprensa britânica. 

No início de agosto, Charlie Watts passou por um procedimento cirúrgico – sem dar maiores detalhes – e informou que não poderia participar da próxima turnê dos Rolling Stones nos EUA. “Pela primeira vez, meu ritmo tem estado um pouco estranho. Tenho trabalhado duro para estar completamente bem, mas hoje eu devo aceitar os conselhos dos especialistas que isso vai demorar mais um pouco”, lamentou nas redes sociais. 

O SOL DE TERÇA-FEIRA

Pobre Brasil. Flexibiliar ou não igrejas e templos virou o grande assunto do dia.

Pobre Brasil. Ao invés de focar no SUS, o país fica discutindo a vacina privada.

Festa estranha com gente esquisita

O Brasil está virando o país do Deus lhe pague

Laerte, na página A2

O centenário de Clarice Lispector na capa da Ilustrada

Resumindo: estamos caminhando pro precipício

O Brasil fragmentado

Palavra do vice-presidente do Grupo Boticário

O que vem a ser Kassio Nunes Marques?

Portugal começa a respirar aliviado, enquanto nós estamos procurando um leito de UTI

Na capa do caderno Na Quarentena, a volta de Alice Cooper

Ajoelhou tem de rezar

Onde está você, Jair Bolsnaro?

Índia e Brasil, tudo a ver

Um continente inteiro passando dificuldades

O mundo é mesmo kafkaniano

A AGONIA DO JORNALISMO DO SBT 

DE: ANA MARIA BRAGA, NO MAIS VOCÊ.                                                                                PARA: ANDRÉIA SADI

Levanta, menina, e mostra a barriga pra gente!

Estréia hoje às 19h30 na Rádio Alvorada (FM 94.9), o programa Mondolivro, criado e apresentado pelo jornalista, gestor cultural e escritor, Afonso Borges. De casa nova (o programa foi criado há 15 anos), Mondolivro faz um verdadeiro check-up do mundo literário, falando de lançamentos, ideias, curiosidades, com entrevistas e ótimas histórias. Longa vida ao Mondolivro!

Miguel e Aroeira recebem a Laerte. O podcast está no Spotify.

 

 

 

 

 

 

 

O SOL DE QUARTA-FEIRA

O SOL nunca duvidou disso

O número assustador estampado na primeira página do jornal

O gráfico mostra que o Brasil vai mal, ao contrário do que diz o inquilino do Alvorada

Será que caiu a ficha dos negacionistas?

Caiu a máscara do ex-juiz e ex-ministro da Justiça de Bolsonaro

A pergunta que todos fazem: onde vamos chegar?

Na foto em destaque na primeira página, cada picada uma dose de esperança

O presidente da República não tem vergonha de mentir

Os brasileiros não tem para onde ir

E o golpe o impediu de ser candidato nas últimas eleições presidenciais

Sim! 3.158

Na verdade, o presidente leu um amontoado de mentiras

Que feriado?

O Globo desenhou a tragédia

Nas bancas, uma revista muito bem feita. O SOL recomenda.

O presidente Nicolas Maduro foi à televisão alertar para que a Venezuela não vire um Brasil

Nancy Sinatra na capa da revista francesa Rock & Folk

A novela das 9 batendo o imbatível BBB

O SOL procura aqui, procura ali e sempre acha um podcast delicioso. Está no Spotify. Vale a pena!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O SOL DE TERÇA-FEIRA

Será o novo porta-voz do Ministério da Saúde

Francamente, Jair e Carlos só pode ser uma dupla sertaneja

A primeira pedra no caminho da AstraZeneca

Cai o velho ditado São Paulo não pode parar

Na prática, o toque de recolher é parcial em São Paulo

É o quarto ministro da Saúde, antes do quinto

E todos desmentem tudo e a vida continua

A Justiça brasileira é feita de mandos e desmandos

O movimento na Avenida Paulista continua

Sim, vai ter Oscar!

Retrato de um governo confuso e despreparado

Pazuello apresentou o Show do Milhão

Imagine se a Justiça decidir intimar todos os brasileiros que chamam Bolsonaro de genocida… imagine a aglomeração!

Pazuello deixa o ministério com a cabeça cheia de números

A médica que disse não ao presidente da República

O Globo finalmente publica uma matéria que não diz ser o Grammy, o Oscar da música…

Na capa do Libération, o trocadilho com o AstraZeneca não tem tradução

Liniers anuncia a primavera na capa da New Yorker

A revista americana acaba com o governador de Nova York, Andrew Cuomo, acusado de abusos sexuais

Na nossa série de nomes bizarros, um novo jeito de se escrever Johnny. Vimos no Jornal Hoje

A cara de boi lambido do comentarista Guilherme Fiuza, na Jovem Pan, anunciando que milhares e milhares de brasileiros saíram às ruas para defender Bolsonaro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O SOL DE QUINTA-FEIRA

No alto da primeira página. São exatamente 2.349 mortos em 24 horas

De repente, a estrela de Lula voltou a brilhar

Ele vai acabar chegando ao número zero

Na foto em destaque na primeira página (de Marlene Bergamo), Lula aparece duas vezes nos braços do povo

O editorial nos traços de Alberto Benett na página A2

A despedida de um combatente

Mudança de hábito

Enquanto brasileiros passam fome

O candidato

Na foto em destaque na primeira página, parece piada Bolsonaro de máscara

Um número que assusta o Brasil e o mundo inteiro

De repente, Lula começa a dar as cartas

Renasce uma estrela

Lembrando que são duas fotos distintas, publicadas uma ao lado da outra

 

Chico Chico, filho de Cassia Eller entra em cena e prepara o seu primeiro disco.

É curioso o G1 escrever supostos crimes. O site não escreve crimes. São sempre supostos.

osgemeos na capa da Vogue

Casos de família. Só se fala disso no Reino Unido. O assunto é capa da Guardian Weekly.

VIMOS NO JORNAL HOJE

A nova presidenta da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, Bia Kicis, diz que quer diálogo com todos e aparece na televisão com dois pixulecos em seu gabinete

O direitista José Maria Trindade e a tarja da Jovem Pan. São os pingos nos is fechados com Bolsonaro

Chico é o maior e agora vacinado